Dossiê: Sabre de Luz

Um dos maiores apelos visuais e conceituais da cinessérie Star Wars sem dúvida é a Ordem Jedi/Sith, mas representadas em um instrumento que há mais de três décadas cativa crianças e telespectadores do mundo nerd: o sabre de luz.

Lightsaber

Poucos objetos da cultura cinematográfica conseguiram simbolizar tão perfeitamente suas obras de ficção, e com tamanho impacto. Envolvido em mistérios místicos e tecnológicos, o Universo Expandido – UE (coleção de mídias não oficiais de Star Wars que são apenas “reconhecidas” por George Lucas, envolvendo livros, hqs, games e tudo aquilo que não são das canônicas trilogias) tentou durante anos explicar os conceitos envolvendo a nobre arma, que em minha opinião, falha vergonhosamente.

Por isso, o colaborador mais polêmico do The Pop Up and Away! traz para você uma leitura pretenciosa e divertida que ao final, faz um mínimo de sentido dentre tantas baboseiras pseudocientíficas que escrevem por aí!

.

O que se sabe do filme (1977): Ep. IV Uma Nova Esperança

O sabre de luz é uma arma elegante, feita para tempos mais civilizados. E mais nada é dito. Afinal de contas é apenas um filme de fantasia sem qualquer compromisso com a realidade. E o visual tecnológico da arma em movimento é mais do que argumento para inseri-lo da maneira como conhecemos, enfatizando o clima futurista do longa.

Admite-se que a lâmina é composta por laser apenas pela aparência (o jovem Anakin se refere ao sabre de Qui-Gonn Jin dessa forma no ep. I), e porque ao cortar algo, cauteriza o ferimento ou derrete o material ao contato. Também é mostrado que deflete tiros, cuja natureza é incerta (a palavra blaster não especifica o tipo de energia emitida) e é aparada somente por outra lâmina de sabre. Mas existem entraves científicos absurdos se considerar a emissão da lâmina como laser: ela tem um tamanho definido (ou ajustável), quando na verdade deveria ser infinita! Imagine que problemão tentar lutar com algo que emite um pulso constante que não pode ser contido. Ou então, COMO raios seria possível conter luz para que fique de um tamanho certo? Como luz, ao entrar em contato com luz se comporta como matéria? Por mais que seja ficção…

.

O que aparece na nova trilogia (2002): Ep. II O Ataque dos Clones

Além de fazer tudo o que foi mencionado acima, é observado aqui que somente o sabre de luz consegue segurar o Force Lightning (relâmpago de Força, técnica utilizada por Conde Dooku, e anteriormente, pelo Imperador), demonstrando uma capacidade importante de defesa contra os Sith. No entanto, somente Yoda teria a perícia suficiente para segurar o relâmpago com as mãos nuas, mas não é qualquer espécie que vive 800 anos para estudar a Força.

yoda

.

O que se viu no desenho (2003): Animação Clone Wars

No brilhante desenho de Genndy Tartakovsky, é mostrada uma caverna onde são minerados cristais especiais que compõe parte importante do sabre. A cena, entoada em um tipo de verso/poema/prece Jedi é de narrativa magistral e mostra a inserção de um cristal especial dentro da empunhadura por uma padawan, completando seu ciclo de aprendizagem.

No entanto, não é possível confirmar se o cristal é de fato a fonte de energia do sabre, ou apenas define a cor da lâmina – só existe três cores de cristais: azul, verde e púrpura (o que não explica a natureza do sabre vermelho dos Sith). A única certeza é a dependência do mineral, dado o tratamento religioso e simbólico que a caverna (e também um tipo de catedral) possui na animação, aparentemente o único lugar do universo conhecido a possuir os cristais.

.

O que prega o UE (Universo Expandido):

Já foi comentado em livros e histórias em quadrinhos que os Jedi lutavam com espadas de lâmina tradicional milhares de anos antes das trilogias, que depois foram equipadas com apetrechos especiais para ter uma aura característica, tentando situar a arma em um contexto de avanço tecnológico. De alguma forma, acredito que o sabre evoluiu para suportar o Force Lightning, uma vez que ao Jedi é proibido uso de técnicas ofensivas como esta, e havia a necessidade de se defender dos Sith.

O cristal vermelho que dá a cor característica das lâminas Sith é tido como sintético, visto que não teriam acesso a tal caverna mencionada. E no UE existem dezenas de cores que são apenas elementos diferenciais para enfeitar a mitologia expandida. Oficialmente, o sabre azul é usado pelos Jedi Guardiões, o verde pelos Consulares e o púrpura pelos Sentinelas, classes relativamente diferentes de cavaleiros que possuem funções específicas.

maulAdemais, o formato da arma transcende o conceito de espada e o design de sua empunhadura. Em A Ameaça Fantasma, Darth Maul usa um sabre duplo em que se usa técnicas de bastão para lutar, e desde então, armas exóticas tem sido apresentadas nas mídias do UE: machados, chicotes, tonfas, adagas, lanças, bastões, armas diversas de arremesso, e uma infinidade criativa de qualquer coisa.

.

.

O que se espera do ep. VII (O Despertar da Força):

O polêmico sabre com guarda em cruz também de energia causou furor ao ser apresentado no teaser oficial. Tem termos funcionais, provavelmente é desvantajoso lutar com pequenas lâminas tão próximas apontadas para você. E já foi especulado todo tipo de teoria, em que as saídas seriam exaustores dada a potência do sabre ou teriam outras atribuições práticas. Mas J.J. Abrams é conhecido por sua massaveísse e não vejo problemas no experimentalismo, e vamos pagar para ver.

cross

.

Natureza energética:

GrievousDesde sempre ouvi o argumento que, sendo uma arma “impossível” de se existir, então ela funcionaria baseada na Força de quem o carrega. Hipótese idiota pois desde O Império Contra-Ataca Han Solo abre o ventre do tauntaun com o sabre de Luke para abrigá-lo do frio. E ele não é nada Jedi. O mesmo pode-se dizer do General Grevious e seus troféus. Assim, a arma realmente deve ter um núcleo de energia artificial, que talvez precise ser recarregada. Sim, pilha. Repare que eles desligam o artefato quando não estão em combate direto em vários momentos das lutas.

.

Estilos de luta

Nos especiais dos DVDs da trilogia clássica, é mencionado que George Lucas queria que as lutas de sabre fossem lentas e que aparentassem muito peso em sua manipulação. Recurso narrativo que foi ignorado na nova trilogia, em função de acrobáticos movimentos de kung-fu. Apesar de parte da mitologia Jedi ser inspirada nos samurai, na verdade pouco é comparável com sua arte da espada (provavelmente a luta entre Obi-wan e Vader em A Nova Esperança representasse com mais dignidade este fato).

Dentre os espadachins, Ki-a Mundi se destaca por uma coreografia diferente, muito similar aos movimentos de esgrima europeia e Starkiller (do jogo The Force Unleashed) usa a pega invertida do sabre para lutar. Já Yoda pulando como sapo decepcionou…

.

Teoria final:

Não faz sentido ser feito de luz! Headshot! Pela maneira que encaramos certos princípios científicos, é totalmente impossível que a lâmina seja laser ou algo de natureza similar (apesar de se falar em “lentes” dentro da empunhadura no UE). O mais provável é que o material seja algo metálico e extensível, que permita regular o comprimento. E como corta da maneira que vemos? Vamos assumir que o material recebe do cabo vibração (mas que protege o punho do usuário) que cria um forte atrito entre as moléculas do material em que colide, fundindo-o. E assim, só pode ser parado por algo de frequência vibratória similar. Perceba que o som da lâmina, tanto parada como cortando o ar sugere vibração.

light-sabers

No UE existem materiais que são mais resistentes ao corte da lâmina luminosa e especula-se que a armadura de Darth Vader seja feita disso, já que caçou os Jedi remanescentes pelo universo, e além de receber impacto direto de Luke e só saiu faísca, na cena em que corta mão dele.

knifeO exemplo mais próximo para comparar seriam as facas progressivas que equipam os “robôs” de Evangelion, sendo que até mesmo “acendem” quando começam a vibrar.

Sim, o sabre de luz, não é de luz. E é só tingir com um cristalzinho que fica chique!

Concorda? Discorda? Manda aí sua opinião que eu mato no peito!