Thor, O Deus do Trovão – O Carniceiro dos Deuses

thor carniceiro dos deuses (1)“Por todas as eras, deuses estão desaparecendo, seus adoradores mortais deixados no caos. A única esperança desses mundos arruinados é que Thor desvende o sinistro mistério do Carniceiro dos Deuses! No passado distante, o Deus do Trovão descobre uma caverna esquecida que ressoa com os gritos de deuses torturados – e fica chocado em se descobrir entre eles! No presente, Thor segue a trilha sangrenta de deuses assassinados nas profundezas do espaço. E milhares de anos no futuro, o último deus-rei de uma Asgard arruinada trava sua derradeira batalha contra as legiões enlouquecidas do Carniceiro dos Deuses. Enquanto três Thors de três eras correm para deter o Carniceiro, a extensão total de seu terrível esquema assume uma forma aterrorizante!”

A Panini dá inicio à publicação dos primeiros arcos da Nova Marvel com uma das melhores histórias desta nova fase da editora. Escrita por Jason Aaron (Escalpo) e fantasticamente ilustrada por Esaad Ribic (Loki), Thor, O Deus do Trovão – O Carniceiro dos Deuses traz as cinco primeiras edições da nova revista do Thor em um material ideal para aquele leitor eventual, que não acompanhou as encarnações anteriores da revista pré-reboot.  

Aaron cria uma história quase descolada do Universo Marvel, contada quase como se fosse realmente uma lenda nórdica, a não ser por uma pequena aparição do Homem-de-Ferro, optando por criar um novo vilão, desconhecido dos leitores, e explorar o universo místico e divino da Marvel, criando novos conceitos e deuses. Em O Carniceiro dos Deuses, todas as divindades se conhecem, partem de um mesmo local de origem, lutam e celebram entre si e possuem o mesmo inimigo: Gorr, o Carniceiro dos Deuses.thor carniceiro dos deuses (1)

A forma com que Aaron conta a história, em três linhas temporais, reforça o tom de ameaça do vilão, uma vez que não o conhecemos de uma vez só. A história avança e recua o tempo todo, mostrando pouco a pouco as origens de Gorr, seu passado com Thor e o rastro de divindades mortas que ficam por onde ele passa.

O design de Gorr, embora deixe um pouco de lado as origens Kirbianas às quais estamos acostumados nas histórias de Thor, é bastante ameaçador e consegue convencer como uma criatura capaz de estripar deuses. Sua presença em cena é bastante marcante e consegue ser um oponente à altura do Deus do Trovão. Ponto para Ribic que além de um ilustrador espetacular, possui um design coeso e bonito. Algo nem sempre presente em outros ilustradores foto-realistas dos quadrinhos (alguém falou Alex Ross?).

thor carniceiro dos deuses (4)

Ir mais a fundo no roteiro seria impossível sem dar alguns spoilers e estragar algumas surpresas da história. O que posso dizer é que se você ainda não leu Thor, O Deus do Trovão – O Carniceiro dos Deuses, faça isso agora e se dê o prazer de ler uma das melhores sagas já escritas para o Deus do Trovão. O único problema é que a história não termina neste primeiro encadernado e ainda não há previsão para a segunda parte. Resta aos leitores, orarem para os deuses dos quadrinhos para que isso aconteça logo!

Nota: 4 de 5

E se este review não foi o suficiente pra te convencer a comprar a revista, talvez esta galeria de imagens te convença! 😉

thor carniceiro dos deuses (3)

thor carniceiro dos deuses (2)

thor carniceiro dos deuses (5)